Ritmos em Performance: Análise métrica do Párodo de As Suplicantes de Ésquilo

Resumen

Neste artigo, apresento a escansão e uma análise preliminar da entrada do coro em cena na peça As Suplicantes de Ésquilo. O objetivo é providenciar material para estudos que levem em conta a relação entre texto, métrica e performance na interpretação de obras da dramaturgia ateniense antiga.

Palabras clave:

Esquilo, Dramaturgia, Métrica, Coro

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Marcus Mota, Universidade de Brasília

Doutor em História  pela Universidade de Brasília (2002), Mestre em Arranjo e Orquestração pela Berklee University (2014), com pós-doutorado em Filologia Clássica pela Universidade de Lisboa (2015), em pesquisa sobre Etiópicas, de Heliodoro. Professor da Universidade de Brasília de 1996, no Departamento de Artes Cênicas onde fundou e dirige o Laboratório de Dramaturgia (LADI-UnB). Publicou diversos artigos (mais de cem), e livros nas áreas de Dramaturgia, Estudos Clássicos, Filosofia, e Musicologia, como A dramaturgia musical de Ésquilo. Investigações sobre Composição, Realização e Recepção de ficções audiovisuais (Editora Unb, 2008), Nos Passos de Homero. Ensaios sobre Performance, Filosofia, Música e Dança a partir da Antiguidade (Annablume, 2013) e Imaginação e morte: Ensaios sobre a representação da finitude (Editora UnB, 2014), Dramaturgia: Conceitos, Exercícios e Análises (Editora UnB, 2018), Metafísica, Escrita e Música: Ensaios Sobre os Fragmentos de Heráclito (Movimento Internacional Lusófono, 2018).

Citas

Cole, T. (1988). Epiploke: Rhythmical Continuity and Poetic Structure in Greek Lyric. Cambridge: Harvard University Press.

Dale, A. M. (1969). Collected Pappers. Cambridge: Cambridge University Press.

Dale, A. M. (1968). The Lyric Metres of Greek Drama. Cambridge: Cambridge University Press.

Fleming, T. (2007). The Colometry of Aeschylus. Amsterdã: Adolf M. Hakkert Editore.

Gentili, B. (1951). La metrica dei Greci. Messina/Fireze: Casa Editrice G. D’Anna.

Guerra, A. G. (1997). Manual de Métrica Grega. Madrid: Ediciones Clássicas.

Lourenço, R. (2011). Para uma terminologia portuguesa da métrica grega. Boletim de Estudos Clássicos 55, 17-55.

Maas, P. (1962). Greek Metre. Oxford: Oxford University Press.

Martinelli, M. C. (1997). Gli Strumenti del Poeta. Bologna: Cappelli Editore.

Masqueray, P. (1899). Traité de Métrique Grecque. Paris: Librarie C. Klincksieck.

Mégevand, M. (2003). L'éternel retour du chœur. Littérature 131, 105-122.

Mota, M. (2011a). From Text to Performance: Ancient Greek Drama and Brazilian Carnival. In: Languages and Cultures in Contact and Contrast: Historical and Contemporary Perspectives (pp. 239­244). Atenas: ATINER.

Mota, M.(2008). A dramaturgia musical de Ésquilo: Investigações sobre composição, realização e recepção de ficção audiovisual. Brasilia: Editora Universidade de Brasilila.


Mota, M. (2011). Metro e representação: geração de arquivos sonoros e midi a partir de textos da tragédia grega. In: ANAIS 7SIMCAM, 254­266.

Mota, M. (2012). Ouvir e dançar ritmos: Experimentos com metros da tragédia grega. Clássica. Revista Brasileira de Estudos Clássicos v. 25, 133­148.


Mota, M. (2013). Nos passos de Homero. Ensaios sobre performance, filosofia, música e dança a partir da antiguidade. São Paulo: Annablume.


Mota, M. (2018). Performance e estudos clássicos: proposta de seminários interdisciplinares. Em L. Oliveira y A. Bacelar (Ed.), Cenas Poéticas, Filosóficas e Musicais (pp. 215­248). São Paulo: Annablume.

Mota, M. (2018a). Ésquilo: dramaturgia e repertório­ uma discussão preliminar. Revista Clássica 31 (2), 75­88.


Mota, M. (2018b). Vida de Ésquilo. Tradução. Rónai: Revista de Estudos Clássicos e Tradutórios 6, 52­62.


Mota, M. (2019). Ritmos/Pés Métricos em Performance: Notas sobre a Dramaturgia Grega Antiga a partir de exemplos em Ésquilo. Revista VIS. Revista do Programa de Pós-Graduação em Arte 18 (1), 21­49.


Rasch, J. N. (1981). Meter and Language in the Lyrics of the Suppliants of Aeschylus. Nova York: Arno Press.

Raven, D. S. (1962). Greek Metre. Londres: Faber and Faber.

Sandin, P. (2005). Aeschylus’ Supplices. Introduction and Commentary on vv 1-523. Lund: Symmachus.

Schroeder, O. (1907). Aeschyli Cantica. Stutgart: Teubner.

Steinrück, M. (2007). À quoi sert la métrique? Grenoble: Jérôme Millon.

West, M. L. (1982). Greek Metre. Oxford: Oxford University Press.

West, M. L. (1990). Aeschylus. Tragoediae cum incerti poetae Prometheo. Leipzig: Teubner.
Publicado
2020-06-12
Cómo citar
Mota, M. (2020). Ritmos em Performance: Análise métrica do Párodo de As Suplicantes de Ésquilo. Synthesis, 27(1), e074. https://doi.org/10.24215/1851779Xe074
Sección
Dossier: Lecturas corales. Esquilo